Dia Mundial do Diabetes

O diabetes mellitus é uma doença crônica cada vez mais prevalente, de crescente importância para a saúde pública. Segundo dados da International Diabetes Federation (IDF), essa condição afeta aproximadamente 425 milhões de pessoas entre 20 e 79 anos de idade, com projeção alarmante para 629 milhões de afetados em 2045.

Nesse cenário preocupante, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking daqueles com maior número de diabéticos no mundo. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), atualmente, o número estimado de pacientes portadores de diabetes no Brasil é de 17 milhões.

O rastreamento da população em geral não é preconizado. Recomenda-se realizar em gestantes, indivíduos com idade maior ou igual a 45 anos ou, antes desta faixa etária, caso apresente algum fator de risco como, por exemplo, obesidade e hipertensão arterial.

 

Embora o aumento da prevalência ocorra sobretudo na população de adultos e idosos, há evidências de que o DM2 também está se tornando mais frequente em crianças e adolescentes, geralmente associado a história familiar, excesso de peso e resistência insulínica.

Confira abaixo alguns exemplos da importância do diabetes:

  • A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que a glicemia elevada seja o terceiro fator, em importância, da causa de mortalidade prematura, superada apenas pela pressão arterial e pelo tabagismo;
  • A doença cardiovascular (DCV) é a principal causa de morte e incapacidade nos casos de diabetes;
  • O diabetes é a principal causa de amputações de membros inferiores e cegueira adquirida;
  • Retinopatia diabética é a primeira causa de perda de visão em adultos de 20-65 anos. Cerca de 1 a cada 3 pessoas vivendo com diabetes tem algum tipo de retinopatia diabética;
  • Dados apontam que 80% de casos de doença renal grave é causada por diabetes;
  • No Brasil, dos casos de hiperglicemia na gestação, 6,2% são por diabetes detectados antes da gestação.

O benefício da adoção de medidas eficazes na prevenção do DM e do diagnóstico precoce é primordial, visando reduzir o impacto desfavorável sobre a morbimortalidade desses pacientes e melhorando a qualidade de vida.

 

Cuide de sua saúde! Converse com seu médico!

Assine a newsletter

Receba novidades em seu e-mail